Oferecer o mesmo alimento com preparações diferentes é uma das maneiras de garantir uma alimentação saudável e variada

Muitos pais chegam aflitos ao consultório em busca de ajuda para a criança que não come. Relatam que o filho come pouco e, por isso, oferecem o que ele quer. Neste contexto, pergunto a você: será que a criança não come porque tem a oportunidade de escolher o que quer comer ou não come porque os pais não podem adquirir os alimentos?

Podem me chamar a de “ultrapassada”, mas acredito que A EDUCAÇÃO ALIMENTAR FAZ PARTE DA EDUCAÇÃO GERAL DE UMA CRIANÇA. Se os pais educam que ela deve estudar para ter um futuro, porque não educar para ter escolhas alimentares saudáveis para ter saúde? É necessário os pais serem participativos nesta educação. Parar de delegar ou COMPENSAR ATRAVÉS DOS ALIMENTOS OS FILHOS PELA SUA AUSÊNCIA EM CASA.

As crianças podem ser seletivas em alguns alimentos, mas ser seletivas em todas escolhas do cardápio diário não é educar, e sim formar um adulto com hábitos alimentares ruins e predisposto a doenças. Os PAIS DEVEM SIM TER O CONTROLE DA DISCIPLINA.

sobre_dentro

FICA O ALERTA!

A criança seletiva pode ter escolhas mais calóricas e no futuro ter o seu peso acima do ideal para a idade. Estudos realizados em 2016 revelaram que 46% DAS CRIANÇAS EM SÃO PAULO ESTÃO ACIMA DO PESO pelo sedentarismo, má alimentação e falta de atividade física na rotina.

USE A CRIATIVIDADE

Lembre que UM ALIMENTO PODE SER FEITO DE DIVERSAS FORMAS, pois há variedade de temperos e formas de preparo. Uma abobrinha, por exemplo, pode virar sopa, salada, ser feita picadinha com carne, virar palitos para lanche, etc. Não desista na primeira rejeição, busque outras formas de oferecer o mesmo alimento.

 

 

Fonte: Daqui Dali